A falsa espiritualidade

September 18, 2017

 

 

A falsa espiritualidade faz referência àqueles que dedicam a sua vida a ler dezenas de livros de crescimento pessoal e ensinar, mas são incapazes de sentir amor em seu coração, e por isso precisam ser vistos e aceites pelos outros.

Vibrar em amor não é tarefa fácil. Temos sido condicionados desde que nascemos, e em muitos casos, desde antes da concepção. Em casos com infâncias dolorosas e sofridas, a alma foi proposta um grande desafio antes de vir à terra: transcender o ego e recuperar sua liderança natural.

Muitas pessoas falam sobre a luz, mas permanecem numa frequência baixa, mesmo que não tenham más intenções. Isto significa que não têm as suas feridas de infância e continuam a identificar-se com a sua mente e a sua personalidade condicionada. É preciso ser muito cauteloso para ensinar apenas aquilo que nós já temos. Porque só assim vem a nossa mensagem com a intensidade que desejamos.

É muito frequente ouvir ou ler sobre o amor, a humildade, a luz, o serviço, e colar frases ou imagens bonitas no facebook, mas são poucos os que falam sobre o ego, a escuridão, e suas inúmeras armadilhas para continuar exercendo a hegemonia Sobre o ser.

A única maneira de conhecer as armadilhas do ego é tê-las experimentado e transcendeu, pelo menos em grande parte. A ilusão é muito subtil.

O ego espiritual é muito comum. Acontece quando o indivíduo procura realçar a sua imagem, ser admirado, ou visto. O que ele quer é que vejam o quão evoluído está, ou que está no caminho da luz, que é uma boa pessoa, humilde, bondosa, luminosa. Mas, assim que este deseja ser visto, já se abateu sobre o seu ego, mesmo que não tenha consciência disso.

Você tem que prestar muita atenção se você não é uma delas, pois é muito provável que assim seja, pelo simples fato de que até chegar à iluminação, o ego continua operando de alguma forma. Se descobrires, só tens de te perdoar com amor e aceitar as tuas partes escuras, que não é a mesma coisa que te identificar. Só significa que ainda tens emoções para curar, tal como qualquer outro ser humano.

O que torna uma pessoa espiritual é a sua autenticidade. Não pretende mostrar nada, não lhe interessa ser visto ou admirado, e não procura nada no mundo, porque sabe que este não tem nada para lhe oferecer. Se alguma vez descobrir que o seu ego o está a enganar, imediatamente volta a si mesmo e começa novamente o trabalho sobre a sua criança interior.

Porque o ego é o nosso menino ferido, que ainda procura o amor dos seus pais que nunca teve quando precisava. Por esse amor é capaz de qualquer coisa, inclusive de matar e torturar. Um assassino ou uma pessoa má é apenas alguém que se desviou da luz e é vítima da sua história.

Todo o mal que faz é apenas uma reprodução do clima familiar que havia no lar de sua infância, e continua a fazê-lo porque ainda no seu interior é fiel ao que seus pais lhe ensinaram. Como sua criança interior ainda está precisando do amor deles (já que ele não se ocupou de-com seu próprio amor, ou seja, não se ama a si mesmo) continua repetindo exatamente o que aprendeu. Se houve violência, violência. Se houve desamor, exerce. Se houve protecção, procura os outros. Você não pode escolher, é escravo da sua história, a não ser que em algum momento escolha conscientemente superar as suas condições e começar a viagem para a liberdade.

Por isso Jesus disse: "Perdoa-lhes pai, não sabem o que fazem", porque literalmente estas pessoas são detidas pelo ego. Perderam a consciência, por isso não há razão para odiar. O ódio ou a rejeição para aqueles que fazem o mal, só fala da falta de compaixão e compreensão sobre a verdadeira natureza humana.

Se não houver compaixão perante alguém que se engana, seja qual for o erro, também não há compaixão para com os próprios erros. Por trás da personalidade, há sempre a luz e, mesmo que não se veja, é isso que vê um verdadeiro guerreiro. Aí está a sua atenção, não o que os seus sentidos sentem.

Portanto, se queres ser uma pessoa verdadeiramente espiritual, não tens de querer ser uma pessoa espiritual, porque já estás presa ao teu ego. Dedica-te à paixão para curar tudo aquilo que ainda te falta curar, para aumentar a tua frequência, e não penses por um segundo que te diz a tua mente. Não lhe ligues. Não lhe dês nenhuma atenção. Faz de conta que foi a mente de outro. Desidentifìcate dela. Porque na mente vive o ego. Sem identificação com a mente, não há ego. E sem ego, só resta o amor.

Fonte: Fernan Makaroff 

            (Adaptado para português)

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

2018, Ano do Cão

February 18, 2018

1/7
Please reload

Posts Recentes

February 12, 2019

February 8, 2019

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags